27 outubro 2007

Carta ao Padrinho



Caro Padrinho,


Após longa e intensa reflexão cheguei a simples conclusão que talvez não haja uma razão em especial em ter te eleito a ti como meu orientador neste novo mundo universitário.
O padrinho é fruto de uma escolha, é uma opção de pura intuição. Neste caso não será errado de o chamar também de “intuição feminina”, pois penso que foi nesse simples facto que se baseou a minha escolha.
Por conseguinte, torna-se um pouco difícil justificar a minha opção. Digamos que o meu “sexto sentido” apurou desde logo uma presença familiar e convenceu de imediato a minha mente de que tu serias a escolha perfeita.
Embora mal te conheça, vejo-te como uma pessoa amiga que deixa transparecer um pouco da sua alma. Características essenciais para o cargo de padrinho, pois é alguém presente no nosso caminho, nas horas de dúvida, de alegria e de sofrimento.
Desde já obrigado por teres aceite o meu convite e espero não te desiludir tanto como afilhada, como amiga. Pois se tenho um padrinho para me apoiar, também tu terás com toda a naturalidade uma afilhada pronta a ajudar, em qualquer circunstância, em qualquer altura.

Padrinho e afilhada são-o para sempre, mesmo que o sempre não exista.



Um comentário:

Joaninha disse...

Na~o podias ter escolhido melhor padrinho ;D