07 fevereiro 2011

Em jeito de Adeus.

Se a minha vida fosse um filme, estaria a correr daqui a umas horas para o aeroporto, para te dar o maior abraço; provavelmente não para te impedir, mas sim desejar-te a maior sorte do mundo e para me prometeres que nada mais farás do que seguir o teu caminho em busca da felicidade.

Mas como pertenço à realidade, limito-me a escrever isto, sozinha no escuro, sem planos para o
amanhã; neste momento não encontro sequer jeito de me despedir e não tenho coragem nem para te olhar, nem para te falar uma última vez.
Para mim, um Adeus a ti nunca fará sentido.



Remember me.

Nenhum comentário: