04 junho 2017

Das coisas que prendem

Sentir que os nossos destinos estariam entrelaçados no momento em que demos a mão pela primeira vez, nos perdemos no momento e ficamos ali, sem pressa de largar.