20 maio 2013

Aos 22 de Março 2013

Existem tempos e contratempos, ventos que por vezes me fazem vacilar o coração seguro em corpo frágil. Tal como acontece a toda a gente… Somos humanos, não de pedra nem de pena, e estamos sujeitos a dar com o nariz no chão, ficarmos tontos com a queda e não sabermos bem como nos voltar a pôr de pé. 
Porém existe um lugar que me pertence, que é meu e pelo qual tive que lutar e ultrapassar obstáculos para o conquistar. Não me foi dado de mão beijada e nem tão pouco o tomo como garantido…Mas é meu e bato o pé a qualquer tentativa de despejo. Não é por estar mais vento lá fora ou chover pelo telhado que saio do meu lugar. Afinal depois da chuva vem a bonança, não é verdade? E eu amo-te assim, com os teus remendos, com os meus remendos e mesmo com os nossos remendos; porque remendos significam dedicação e amor ao tentar reparar o pedacinho de compostura que o vento levou.